• Fernanda Lima conta que ator “empatou” primeiro flerte com Rodrigo Hilbert

    Fernanda Lima conta que ator "empatou" primeiro flerte com Rodrigo Hilbert
    Fernanda Lima conta que ator “empatou” primeiro flerte com Rodrigo Hilbert (Foto: Reprodução/Instagram)

    Fernanda Lima revelou que, antes de iniciar a relação com Rodrigo Hilbert, os dois enfrentaram alguns obstáculos para se conhecer melhor.

    + Rodrigo Hilbert posta clique antigo com Fernanda Lima: “Bastante tempo” 
    + Aos 40 anos, Rodrigo Hilbert afirma: “Não quero que seja tudo perfeito”
    + Mesmo com ajuda dos brasileiros, Dayane Mello não vence o “Big Brother Itália”



    O primeiro contato romântico entre os dois aconteceu no aniversário de Antonio Amâncio, mas um ator atrapalhou esse flerte.

    “Passou um ano (após eles terem se visto rapidamente pela primeira vez), aí fui para o Rio para um aniversário do Antonio na praia, para uma festa surpresa que tinha para ele. Aí cheguei à festa. Eu já sabia que ele ia estar lá, ele sabia que eu ia estar… Daí cheguei, a gente se olhou e (pensou): ‘É hoje!'”, contou Fernanda, no podcast “Calcinha larga”.

    Em seguida, ela revelou quem era a pessoa que “empatou” o flerte entre os dois. “Lembro que a gente ficou na beira da praia, já era para ter rolado alguma coisa, mas tinha muita gente empatando, a gente morrendo de vergonha. Tinha um aluno do Antonio que era mágico. O (Gabriel) Louchard. Esse menino era uma criança e ficou fazendo mágica ali na beira da praia para a gente. Chegou uma hora que ficamos só eu, Rodrigo e ele. E ele continuou fazendo mágica. Eu estava assim: ‘Caraca… Esse cara não vai embora?'”, relembrou ela.

    “Ele não ia, não ia, não ia. Tanto ele não ia, a gente estava sentado na areia, e o Rodrigo começou a caminhar e foi me cercando com os pés. Como se dissesse assim: ‘Vamos seguir na mágica mas estamos quase encaminhados'”, revelou.

    Depois, segundo ela, ele foi embora. “Aí a gente ficou essa noite, com tudo o que tinha direito. Aí no outro dia a gente dormiu na casa de um amigo meu, que era na Praça General Osório, e ele morava do outro lado da praça. Aí ele falou: ‘Vamos lá em casa?’. A gente desceu, de manhã, assim, fomos atravessar a praça, e ele pegou minha mão. A gente atravessou a praça de mãos dadas. Nesse trajeto eu pensei: “É isso”. Achei fo*** num primeiro ficar ele pegar minha mão, num mundo que não estava nem aí para nada, que as pessoas não tinham compromisso nenhum… Me pareceu que ele queria compromisso e eu também queria”, concluiu ela.

    arrow