Tom Cruise devolve estatuetas do Globo de Ouro após polêmicas da HFPA (Foto: Reprodução/Instagram)

Tom Cruise devolveu seus três prêmios do Globo de Ouro, em protesto contra a HFPA (Hollywood Foreign Press Association, a organização por trás da premiação).

+ Novo casal? Tom Cruise estaria namorando atriz da Marvel, Hayley Atwell
+ Michael B. Jordan entra em carro em chamas para novo filme: “Meu coração estava batendo muito rápido”
+ Tom Cruise estreia no Instagram

O ator ganhou os prêmios de melhor ator por suas atuações em “Jerry Maguire“, em 1997, e “Nascido em 4 de julho“, em 1990, e o prêmio de melhor ator coadjuvante por “Magnólia“, em 2000.

As polêmicas da HFPA envolvem a revelação de que nenhum de seus membros são negros e questões éticas relacionadas aos benefícios financeiros para alguns de seus 87 membros que foram alvo de uma investigação do Los Angeles Times em fevereiro.

Relacionados

A associação soltou um comunicado em seu site oficial, dizendo: “Independentemente da próxima data de transmissão do Globo de Ouro, a implementação de mudanças transformacionais o mais rápido – e da forma mais cuidadosa possível – continua sendo a principal prioridade de nossa organização. Convidamos nossos parceiros da indústria para trabalhar conosco no reforma sistêmica que está muito atrasada, tanto em nossa organização quanto no setor como um todo.”

Mesmo assim, a rede televisiva NBC afirmou que não irá transmitir a premiação em 2022. “Continuamos a acreditar que a HFPA está comprometida com uma reforma significativa. No entanto, uma mudança dessa magnitude leva tempo e trabalho, e acreditamos fortemente que a HFPA precisa de tempo para fazê-lo da maneira certa. Como tal, a NBC não irá transmitir o Globo de Ouro de 2022”, disse a rede ao CNN Business.

A atriz Scarlett Johansson publicou um texto em protesto e pedindo que a comunidade do entretenimento deixem de participar de eventos promovidos pela HFPA. “Como um ator que promove um filme, espera-se que a pessoa participe da temporada de premiações participando de coletivas de imprensa e também de shows de premiação”, disse ela em um comunicado à Variety.

“No passado, isso muitas vezes significava enfrentar questões sexistas e comentários de certos membros do HFPA que beiravam o assédio sexual. É a razão exata pela qual eu, por muitos anos, me recusei a participar de suas conferências. O HFPA é uma organização que foi legitimado por nomes como Harvey Weinstein para ganhar impulso para o reconhecimento da Academia, e o setor seguiu o exemplo. A menos que haja uma reforma fundamental necessária dentro da organização, acredito que é hora de dar um passo atrás da HFPA e focar na importância e força da unidade dentro de nossos sindicatos e da indústria como um todo”, afirmou Scarlett na nota.