Geisy Arruda sobre ataque na faculdade: ‘polícia me tirou de lá para me proteger’ (Foto: Reprodução/Instagram)

Em 2009, Geisy Arruda sofreu ataque na faculdade, por usar um vestido rosa curto, a ex-estudante de turismo foi hostilizada por milhares de alunos, e precisou ser retirada da universidade pela polícia. A influencer relembrou do episódio.

+Astronauta envia foto da família de Luciano Huck do espaço
+Vitória Strada se declara para Marcella Rica: ‘vem amar comigo mais anos’
+Maria Lina se declara para Whindersson em cima de jatinho: ‘imbatíveis’

Eu tinha 19 anos, eu estava muito na merd*, eu fui humilhada por mais de três mil pessoas. Eu fui esculhambada, me chamaram de tudo quanto é nome. Não tinha um lado bom naquilo“, disse Geisy, em entrevista para ao Venus Podcast.

No dia em que foi assediada na universidade, Geisy pretendia ir para uma festa após a aula, mas seus planos acabaram mudando. “O engraçado é que era um vestido que eu paguei R$ 50, eu comprei na liquidação. Eu amava ele, eu me sentia tão bem dentro dele, ajudava minha autoestima, eu me sentia tão bonita… então eu não entendi porque agrediu tanto as pessoas“, comentou a influencer.

Relacionados

Ao ser questionada, Geisy também falou que apesar de ter sido a mais de 10 anos, não mudou muita coisa: “Sim, muito tempo se passou, mas pouca coisa mudou em relação à mulher. Esses dias eu estava no mercado de vestido longo, passaram dois motoqueiros e quase me comeram viva. O vestido era longo, mas provavelmente me olharam daquela forma porque era justo“, lamentou.

Arruda também comentou sobre as mentiras que falaram sobre ela na época: “As pessoas começaram a falar coisas de mim dentro faculdade, tem histórias bizarras, como uma que dizia que eu estava transando na sala, outra dizia que eu estava sem calcinha, tem outra que eu tinha subido a roupa… cada um inventou uma história de mim para justificar o ataque“, memorou ela.

Quando a polícia chegou, eles comemoraram. Eles acreditaram que eu estava sendo presa por atentado ao pudor. Mas não, a polícia foi me tirar de lá, para me levar para casa, para me proteger deles“, acrescentou ainda ela.