• Sobrinha de Chay Suede nasce em casa: “Não deu tempo de chegar no hospital”

    Sobrinha de Chay Suede nasce em casa: "Não deu tempo de chegar no hospital"
    Sobrinha de Chay Suede nasce em casa: “Não deu tempo de chegar no hospital” (Foto: Reprodução/Instagram)

    O irmão de Chay Suede por parte de pai, Henrique Rocha, celebrou o nascimento da filha, Elis, fruto de seu relacionamento com Letícia Porto.

    + Chay Suede posa com a filha em banho de mar noturno e encanta os fãs
    + Laura Neiva exibe barriguinha de gravidez ao lado da filha, Maria
    + Xuxa aparece emocionada no casamento de Sasha

    “Ela chegou de uma forma incrível!!! Nasceu em casa, não deu tempo de chegar no hospital. Sem médicos, sem ninguém, sozinho, papai Henrique teve que fazer o parto. Deus deu calma e sabedoria para que ele tivesse a capacidade de receber em seus braços essa coisa linda!!! Parabéns meu filho pela sua coragem!!! Bem vinda minha netinha Elis!!!”, escreveu Roobertchay Rocha, pai de Chay e Henrique.



    A mulher de Henrique, Letícia Porto, compartilhou em seu perfil um relato do parto de Elis. “No dia 29 de maio, 3:20 da manhã, já estávamos próximas a completar 39 semanas seguindo juntas no mesmo corpo. Acordei com uma pontada na barriga, parecia que algo tinha se desencaixado lá no meu quadril, decidi levantar pra ir ao banheiro e logo veio a diarreia. A diarreia me acompanhou nos últimos dias da gravidez, as mulheres que já sofreram com os pródomos vão me entender, então não me importei. Ao retornar pra cama vieram cólicas e elas estavam bem fraquinhas, então também não me importei. Pedrão veio pra minha cama e depois de uns minutinhos agarrada nele, pedi pro Henrique colocar ele de volta na cama dele e assim foi. Ao voltar pro nosso quarto, talvez pela minha cara, ele percebeu algo diferente e me perguntou se eu estava com dor. Respondi que sim e ele sugeriu que marcássemos as contrações. Elas vinham de 5 em 5 minutos mais ou menos e eu não reparei em qual momento a intensidade aumentou.”

    “Ela sugeriu que eu fosse pro chuveiro quente e caso as contrações continuassem, íamos logo pro hospital. Enquanto eu buscava ajuda da água quentinha, percebi que aquilo não era um alarme falso, a dor já era grande. As 3:50 contatamos a minha médica obstetra que pediu pra eu me atentar aos movimentos da bebê e a saída de algo pela vagina, e ir ao hospital. Já saí do chuveiro com muita vontade de fazer força, coloquei a primeira roupa que vi pela frente e as contrações ficaram consideravelmente fortes nesse momento. Às 04:14 ligamos pra médica novamente pra dizer que as contrações estavam com intervalos curtos e estávamos indo ao hospital. Ela nos encontraria lá. Foi só nesse momento que eu percebi que não daria tempo, eu já estava fazendo força involuntariamente. Deitei na cama, gritei e fiz a primeira força e a cabeça da minha filha saiu. Às 04:17 ligamos por chamada de vídeo pra minha médica que já estava se arrumado pra sair. E lá veio outra força, e eu só sabia gritar: ‘Não vai dar tempo, a minha filha tá nascendo. Henrique'”, contou ela.

    “Pedro acordou um pouquinho assustado, contamos rapidamente que a Elis estava chegando e ele ficou sentadinho esperando. O papai foi muito corajoso, eu não conseguiria sem ele. Pedro foi compreensivo e carinhoso. Elis foi vitoriosa e forte. Até a Frida, nossa cachorra, foi uma parceira fiel e preocupada. Estou transbordando amor, felicidade e uma eterna gratidão a Deus. Eu sempre pedi um parto rápido, com menos dor possível e Ele me deu”, concluiu.

    + Dicas fáceis de como limpar panela queimada
    + 19 erros que você não pode cometer ao planejar a cozinha
    + 26 curiosidades sobre a Porsche

    arrow