Heitor Martinez sobre ter pego covid-19: ‘foi uma experiência assustadora’ (Foto: Reprodução/Instagram)

Heitor Martinez, de 52 anos, ficou internado por mais de 10 dias devido a complicações da Covid-19. Já de alta, e se recuperando em casa o ator desabafou sobre a doença e o medo que teve.

+Ex-BBB Thaís Braz fala sobre discussões com Juliette: ‘ciúminho besta’
+Anitta é flagrada beijando novo affair durante festa em Miami
+Viúva de Paulo Henrique Amorim, não consegue receber herança

Foram dias de muita tensão e incertezas, principalmente a primeira semana. O medo e a confiança estavam sempre presentes. E, a cada exame de sangue e a cada visita dos médicos, a confiança foi vencendo“, recorda em entrevista à Quem.

Meu mantra era o foco na respiração. Imaginava cada parte do meu corpo recebendo o oxigênio necessário e, principalmente, confiava nos médicos que sempre foram claros nos procedimentos tomados para a minha recuperação“, explicou o ator.

Relacionados

Heitor conta que assim que a saturação de oxigênio no sangue caiu, decidiu ir ao hospital, e isso fez com que seu quadro de saúde não fosse piorado. “Minha internação foi na hora certa, pois meu nível de oxigenação estava caindo perigosamente. Só soube da possibilidade da intubação no nono dia [de internação], quando meu quadro já estava evoluindo para a alta hospitalar e os médicos me revelaram que por pouco não fui intubado. Fiquei bem chocado, mas aliviado. Usei quatro tipos de ventilação não invasiva e minha adaptação rápida evitou o pior“.

Foi uma experiência muito forte e assustadora. Nos primeiros dias em casa, eu sentia uma felicidade e satisfação nas menores coisas: abrir os olhos de manhã, sentir o cheiro do café, abraçar minha companheira, deitar, pegar sol na janela. Minha relação com os profissionais da Clínica São Vicente me mostrou que a vida é o encontro, é a relação, nós somos o que fazemos com esse encontro, por nós e pelos outros“, desabafa.

Sou eternamente grato a essas pessoas e desejo que esse carinho e atenção com que fui atendido seja a base das relações humanas. Agradeço demais também a corrente de amigos que me enviaram força e energia que me alimentaram dia a dia. E agradeço à minha família que me deu total tranquilidade, apoio e confiança para lutar e vencer. A vida é urgente“, concluiu.