Armie Hammer está sob investigação após nova acusação de estupro (Foto: Reprodução/Instagram)

Armie Hammer, famoso por seu papel no filme “Me Chame Pelo Seu Nome”, foi acusado de estupro novamente e está sendo investigado.

+ Armie Hammer, ator de ‘Me Chame Pelo Seu Nome’, é acusado de canibalismo
+ Perlla engana fãs e publica notificação de outra pessoa como se fosse dela
+ Paulinha Leitte ganha pela 47ª vez na loteria: ‘Caixa Econômica que lute’

A notícia vem poucos meses depois da polêmica envolvendo sua suposta “natureza canibal”. A acusadora da mais nova denúncia de estupro é sua ex-namorada, Effie, que afirma que ele abusou sexualmente dela por mais de 4 horas, além de outros atos de violência, como bater com a cabeça dela contra a parede.

Segundo ela, o crime teria ocorrido em Los Angeles, no dia 24 de abril de 2017. As alegações foram feitas em conjunto com sua advogada, Gloria Alfred, durante uma entrevista coletiva. Ela teria conhecido Armie em 2016, por meio do Facebook, quando ela tinha 20 anos de idade.

A advogada afirmou que Effie forneceu à polícia provas do abuso sexual e que elas teriam sido o suficiente para abrir a queixa contra o ator.

Relacionados

Os advogados de Armie refutaram as acusações dizendo que em 18 de julho de 2020, três anos após o suposto crime, ela teria enviado mensagens com conteúdo gráfico e sexual. Em resposta, o ator teria respondido dizendo que “não queria manter esse tipo de relacionamento com ela.”

“Nunca foi intenção do Sr. Hammer envergonhar ou expor os fetiches ou desejos sexuais pervertidos de Effie, mas ela agora escalou este assunto para outro nível ao contratar um advogado civil para hospedar uma coletiva de imprensa pública. Com a verdade do seu lado, o Sr. Hammer dá as boas-vindas à oportunidade de esclarecer as coisas”, acrescentaram os advogados do ator.

Armie reforçou que suas interações com Effie e todas as outras parceiras sexuais foram “completamente consensuais, discutidas e combinadas com antecedência, e mutuamente participativas”.

A equipe do ator ainda firmou que sua entrevista coletiva “só tornará mais difícil para as verdadeiras vítimas de violência sexual obter a justiça que merecem”.