Após se mudar para Portugal, Giovanna Ewbank ressalta: “Não deixo de ser brasileira” (Foto: Reprodução/Instagram)

Giovanna Ewbank, que recentemente se mudou para Portugal com os filhos para ficar mais perto de Bruno Gagliasso, que está gravando uma série na Espanha, salientou que permanecerá atenta aos problemas que o Brasil passa.

+ Giovanna Ewbank revela mudança da família para Portugal: “Novo lar”
+ Pedro Scooby fala sobre brasileiros que querem se mudar para Portugal: “Síndrome de vira-lata”
+ Giovanna Ewbank aproveita Lisboa com Bruno Gagliasso: “Te amo”

“Serão alguns meses apenas, porque tanto eu quanto o Bruno temos compromissos profissionais no Brasil a partir de setembro e vamos ter que voltar. Eu vim feliz por poder unir minha família. Mas sou brasileira, sou atenta ao meu país e grande parte da minha família segue no Brasil, o que faz com que a minha preocupação não diminua”, disse ela em entrevista ao jornal O Globo.

Relacionados

Ela ainda lamentou a situação do país em relação ao coronavírus. “Eu não deixo de ser brasileira, de me indignar, me posicionar, de sentir dor e preocupação com os rumos da pandemia e da política. É impossível. Isso eu carrego comigo, esteja onde estiver. Mas não, não há alívio, há uma tristeza e um lamento profundo pelas 500 mil mortes que poderiam ter sido evitadas se tivéssemos um líder”, explicou.

A apresentadora ainda contou o motivo de ter se mudado para Portugal, e não para a Espanha, onde a série do marido está sendo gravada. “O coração e o profissional se encontram. Eu enxergo em Portugal uma oportunidade de gerar conteúdos para o meu canal, Gioh, porque posso falar do país enquanto o conheço melhor. Quando percebi que o canal tinha a ganhar, foi um caminho sem volta, porque o Bruno está gravando em Madri”, justificou.

“Nós temos três filhos pequenos. Era uma chance única de ter a minha família unida e manter o crescimento dos meus filhos perto do pai, o que é muito importante para gente, enquanto meu trabalho como apresentadora segue fortalecido. E isso é sempre um dilema feminino, não é? Nós mulheres temos esse dom de administrar a carreira e família e fico feliz de estar conseguindo”, concluiu Giovanna.