• Morre aos 104 anos, o policial mais antigo da Polícia Militar

    Morre no Rio, aos 104 anos, o policial mais antigo da Polícia Militar. Foto: Reprodução Instagram
    Morre no Rio, aos 104 anos, o policial mais antigo da Polícia Militar. Foto: Reprodução Instagram

    Morreu em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, aos 104 anos, o tenente-coronel João Freire Jucá Sobrinho, da Polícia Militar do antigo estado da Guanabara, quando o Rio ainda era capital da República. Ele era o policial mais antigo da instituição.

    + Jovem é atropelado 2 vezes ao tentar separar briga de casal em Londrina; veja o vídeo
    + Rafaella Gonçalves, PM e influenciadora digital é morta pelo marido em casa
    + Quina 5395 sorteia prêmio de R$ 13 milhões no concurso de hoje; veja como apostar
    + Banco do Brasil encerra em novembro parceria com as lotéricas da Caixa Econômica Federal
    + Influenciadora Juliana Lima dá dicas para cuidar da beleza e ter qualidade de vida no Instagram



    O oficial superior passou por duas guerras mundiais, gripe espanhola e covid-19 e morreu em casa de mal súbito. Antes, há três semanas, sofreu um derrame e foi levado para um hospital da região serrana. Depois de internado por 11 dias, voltou para casa para se recuperar.

    + Dicas fáceis de como limpar panela queimada
    + 19 erros que você não pode cometer ao planejar a cozinha
    + 26 curiosidades sobre a Porsche

    O tenente-coronel Jucá Sobrinho ingressou na Polícia Militar como recruta no dia 20 de julho de 1934 e passou por vários batalhões, entre eles, o 2º batalhão, em Botafogo e o 3º batalhão, no Méier. Depois fez cursos para cabo e sargento e mais tarde, passou para oficial, ingressando na Cavalaria. Ele comandou também a Companhia de Motociclistas, baseada no 4º batalhão, em São Cristóvão. O registro geral de Jucá na PM é 00104.

    Depois de mais de 40 anos na corporação, passou para a reserva remunerada, no posto de tenente-coronel. Antes, decidiu morar em Petrópolis, aos 59 anos, onde foi lotado no batalhão da cidade.

    Em depoimento para a página da Polícia Militar, o tenente-coronel João Freire Jucá Sobrinho disse que “foi muito boa a minha vida na carreira militar. Muito reconhecimento. Eu procurava trabalhar direito para fazer jus a isso. A Polícia Militar sempre foi muito boa para mim”, declarou.

    Jucá Sobrinho nasceu no bairro de Anchieta, zona norte do Rio de Janeiro. Ele deixa a esposa Vanda, de 95 anos, cinco filhos, 17 netos e 22 bisnetos.

    O corpo do militar foi velado no Cemitério de Petrópolis, onde ocorreu o enterro hoje à tarde.

    Fonte: Agência Brasil

    Veja também:

    + Conheça o iate de luxo de Giorgio Armani: ele mesmo projetou e custa R$ 330 milhões

    + Cozinhas coloridas: veja dicas essenciais para apostar em projetos alegres, modernos e joviais

    + 5 dicas para escolher o modelo ideal de sofá para a sala de estar

    + Pessoas que gostam de cerveja IPA têm personalidade parecida, diz estudo. Saiba mais!

    + Previsões de Nostradamus para 2021: Asteróide e ‘fim de todo o mundo’

    + Bruna Lombardi posta foto nua aos 68 anos

    + Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!

    + Gato e porquinho viram melhores amigos quando passaram a viver na mesma casa

    + CPTM atualiza mapa das linhas da CPTM e Metrô

    + Os 3 signos mais sensitivos do zodíaco

    + Bandeirantes contrata atriz de fimes adultos Maru Karv para o canal SexPrivé

    + De biquíni verde cavado Lívia Andrade arranca elogios da web ao tomar banho de sol

    + Irmã de Juliana Caetano exibe corpão e brinca com fãs: “O que te faz ver estrelas?”

    + Aos 68 anos, Bruna Lombardi posta foto de biquíni ‘contra sua vontade’

    + Marcella Rica e Vitória Strada vão se casar

    + Vídeos íntimos de Raissa Barbosa vazam em sites de conteúdo adulto

    + Ellen Rocche posta foto de ensaio nu na ‘Playboy’ e ganha elogios dos fãs

    + O bico do seu p… é rosa? Juliana Caetano, responde a fã de maneira ousada

    + Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona

    + 10 coisas que os pais fazem em público que envergonham os filhos

    + Líder de seita sexual apocalíptica é condenado a 1.075 anos de prisão

    + Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

    + ‘Borboletas no estômago’ indicam algo além de estar apaixonado

    + 10 sinais de que seu parceiro não te ama (como você gosta dele)



    arrow