• Gianecchini fala sobre boato de affair com filho da ex-esposa Marília Gabriela: “muita maldade”

    Gianecchini fala sobre boato com de affair com filho da ex-esposa Marília Gabriela: "muita maldade"
    Gianecchini fala sobre boato de affair com filho da ex-esposa Marília Gabriela: “muita maldade”. (Foto: Reprodução/YouTube)

    Reynaldo Gianecchini e Marília Gabriela comentaram sobre os boatos de que o ator tido um affair com Theodoro Cochrane, filho da apresentadora, durante o período em que foram casados (1999 a 2006). O papo aconteceu no vídeo publicado no canal “Téte a Theo”, do próprio Theodoro, assumidamente gay.

    +Sylvester Stallone compra mansão avaliada em mais de R$ 180 milhões de frente ao mar
    +Romana Novais posta carta que escreveu à Raika: “orei incansavelmente para te ter no meu colo”
    +Saulo Pôncio chora ao desabafar sobre crises e agradece família com Gabi Brandt: “melhor presente”



    A gente ouvia sempre essa história e achava graça na época, porque era tão surreal, uma piada, uma brincadeirinha. Mas depois a gente descobriu que as pessoas davam isso como certo. Mas a gente tinha tanta segurança na nossa relação, que nunca ligamos. Até hoje eu não ligo para isso. Mas a pergunta é: de onde surgiu?“, disse o ator. “Surgiu do preconceito de mais de um lugar: ‘Ah, dessa mulher tão mais velhas que esse galã’…. Espalhou-se, virou uma praga isso. E até hoje ainda falam“, respondeu Marília, citando a diferença de 24 anos de idade entre eles.

    Gianecchini revelou que se dava muito bem com o enteado, mas que eles nunca saiam juntos. “Se alguém tivesse visto a gente na noite… A gente não estava junto em nenhum lugar. Então, é muito da maldade“, comentou.

    O ator também desabafou sobre a sexualidade, mas destacou que não gosta de levantar qualquer bandeira: “não tenho a menor vontade de dar detalhes da minha sexualidade. O que eu acho legal falar sempre é que todo mundo dever olhar com um olhar mais aberto, pois cada pessoa tem a sua sexualidade, e ela pode ser muito mais fluida do que você imagina. É isso que que bati numa tecla. Não quero levantar bandeira gay, bissexual, hétero, nada disso. Eu vejo todos esses seres em mim. Não passa muito esse gavetinha do gênero. (…) Somos um país de muita repressão, de muita gente reprimida. É uma hipocrisia“, afirmou.

    arrow