Confira a trajetória de vida da “Bruna Surfistinha” que celebra hoje seus 36 anos!. (Foto: Reprodução/Instagram)

Raquel Pacheco, a Bruna Surfistinha, celebra hoje os seus 36 anos. A escritora, empresária, DJ, bissexual, feminista e ex-prostituta, ganhou fama em 2005, quando decidiu criar um blog para compartilhar a rotina de programas que fazia em São Paulo.

+Grávida de uma menina, a cantora Simone admite cansaço na sua viagem até o Ceará
+Mayra Cardi mostra closet feito para sua filha, Sophia, de dois anos
+Michel Teló revela que leva marmita para as gravações do The Voice: “Thais cozinhou”

Mais tarde “Bruna” virou o livro “O Doce Veneno do Escorpião”, que inspirou o filme “Bruna Surfistinha”. Raquel deixou a prostituição e hoje realiza workshops sobre prazer sexual. A empresária já afirmou que fez mais de 3 mil programas, sendo muitas delas transas horríveis, que a fez entender o problema da relação do cliente: a mulher jamais sentiria prazer com ele. “Eles comentavam que a mulher não gostava de ser estimulada. E eu entendia. Porque era horrível!“.

Relacionados

Ano passado, quando participava de uma feira erótica no Rio de Janeiro, Raquel também lembrou da época em que fez penetração em homens: “eu comia ele. Chamava [isso] de ‘Bruno’, teve uma época que fui mais Bruno do que Bruna“, a escritora revela que até mesmo famosos a procuraram para realizar fetiches: “o mais legal foi um jogador de futebol. Teve um cantor sertanejo, mas ele não era tão conhecido, hoje ele é. Estamos falando de alguns anos atrás, ele estava começando“, completou.

Recentemente Raquel foi atacada nas redes sociais ao questionar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre os depósitos suspeitos de Fabrício Queiroz na conta de Michelle Bolsonaro, mas rebateu as críticas quem acredita que ela não tem moralidade para isso: “Eu, como cidadã, tenho direito de questionar e cobrar respostas e assim o farei, sem temer com essas represálias