• Bailarina trans de Anitta cria vaquinha online para cirurgia de redesignação sexual

    Bailarina trans de Anitta cria vaquinha online para cirurgia de redesignação sexual
    Bailarina trans de Anitta cria vaquinha online para cirurgia de redesignação sexual (Foto: Reprodução/Instagram)

    Makayla Sabino, bailarina trans famosa por dançar com Anitta no Rock in Rio, criou uma vaquinha online para sua cirurgia de redesignação sexual.

    + Glamour Garcia fala sobre adiamento da cirurgia de redesignação sexual
    + Elliot Page agradece os fãs pelo apoio que vem recebendo após se assumir trans
    + Atriz transexual: Em seu primeiro papel na televisão, Joana Couto já é protagonista



    A carioca de 21 anos, moradora do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, busca arrecadar cerca de R$ 50 mil para pagar o processo, que será feito no Brasil.

    Makayla conseguiu mudar de nome e gênero nos documentos há mais de um ano, uma batalha que lutava desde 2017 na justiça.

    “A cirurgia é o meu maior sonho no momento. Gostaria de fazer aqui no Brasil, para ter uma segurança maior de ter pessoas, família, aqui para me ajudar no pós-cirúrgico. Quando lancei a vaquinha, fiz mais ou menos no valor da cirurgia, coloquei como uma base para ter início”, explicou.

    “Comecei a pesquisar pessoas e lugares para fazer, e o cirurgião mais indicado foi o Dr. Márcio Litteton. Inclusive, falei com algumas mulheres trans que foram operadas por ele, e que foi um sucesso. Ele que fez a cirurgia da (ex-BBB) Ariadna também”, disse Makayla.

    Apesar de já ter arrecadado R$ 13 mil, ainda precisa do valor completo. “São vários gastos, tenho que pagar para começar o tratamento psicológico e acompanhamento médico durante um ano para fazer a cirurgia, depois tem que pagar o hospital, o cirurgião, a anestesia, os remédios, e tem o pós também. Realmente não tenho grana para isso. Estou contando com a vaquinha ou alguém cirurgião, uma alma caridosa aparecer e fazer pela metade do preço. Estou nessa esperança desse sonho e correndo atrás o máximo que eu posso”, salientou.

    Ela ainda contou sobre os preconceitos que já sofreu por ser trans, ainda mais no meio artístico. “Já ouvi de produtores que eu não ia fazer parte do trabalho por ser uma mulher trans. Cheguei a pensar que eu nunca ia conseguir dançar com cantores famosos e chegar aonde eu cheguei. Pensei muito em desistir. É muito difícil, porque machuca demais.”

    “No meu ambiente de trabalho eu já senti que a posição de muita gente mudou. Na minha família e onde eu moro também. Sempre fui respeitada, porque eu sempre me impus muito, mas, depois do Rock in Rio, criou-se um respeito maior pelo meu trabalho e por mim”, ressaltou Makayla.

    arrow