Atriz transexual: Em seu primeiro papel na televisão, Joana Couto já é protagonista (Foto: Divulgação/Desiree do Vale)

Joana Couto, de 30 anos, é uma das protagonistas da série “Perdido”, que estreou na noite da última segunda-feira (9). Formada em cinema, ainda é modelo e artista plástica, e transexual.

Veja também:

+ Alice Felis fala sobre reconstrução facial e mostra foto antes da transição: “esse era eu”
+ “Eu era atriz de mim”, diz ex-Malhação ao revelar transição sexual no Instagram

Joana fez sua estréia como atriz de TV e logo como uma das protagonistas: atua como o personagem Roberto Clayton, que se assume como a mulher trans Clay.

Relacionados

Em entrevista para O Globo, Joana explica que as pessoas trans são vistas como uma ameaça. “Pelo homem, que agride ou transa escondido, e pela mulher, que as vê como as que assaltam ou possíveis amantes do marido”.

Ela revela ainda que lida tanto com o fascínio quanto com a agressividade que seu visual andrógino provoca nos homens. “A série procura desdemonizar. Falar disso na TV é ganhar empatia, ampliar visões que foram bitoladas pelo olhar heteronormativo machista. Somos mulheres e, antes disso, seres humanos. Não precisa gostar, mas a gente merece respeito”, salienta.

Ela começou seu processo de transição aos 17 anos. “Teria sido muito mais cedo se a sociedade fosse mais aberta. Conheço meninas que fazem a transição com 13 anos, são chutadas de casa e caem na prostituição”, lamenta.