Atriz que atuou na novela Mulheres Apaixonadas revela que gravou sob efeito de alucinógeno. (Foto: Reprodução/Viva)

A atriz Paula Picarelli usou a sua conta no Instagram para revelar que na sua participação na novela Mulheres Apaixonadas (2003), atualmente reprisada pelo canal pago Viva, chegou a gravar sob efeitos de ayahuasca, chá alucinógeno utilizado em rituais espirituais.

+O casal Orc e Mulher Morcego fala sobre preconceito com a aparência
+Cristiano Ronaldo celebra os três anos da filha: “papai te ama”
+O ator José de Abreu volta a dizer que pretende se candidatar à presidência em 2022

Relacionados

Entro no boxe e abro a garrafa com ayahuasca que Alma tinha me dado. Tomo uma colher. ‘Tome somente uma colher’, sua voz ecoa na minha cabeça, como um flashback de novela mexicana. Tomo mais uma, e mais outra. Quarenta minutos depois, ouço meu nome, me chamam para a gravação. Estou completamente pegada e penso, agora como a narração de um filme de terror trash: ‘Estou em transe e vou passar mal em rede nacional’“, o relato de Picarelli faz parte de um livro escrito pela atriz.

Paula explicou que vivia uma “paranoia” durante a produção da novela e adotou rituais religiosos como terapia. “Em 2003, enquanto gravava a novela Mulheres Apaixonadas, eu estava imersa num culto religioso. Todos os dias, ao acordar de manhã até me deitar, tudo o que eu pensava e sentia era medo. O mundo oculto que eu acreditava existir me assustava, perseguia, atacava, e eu passava a maior parte do meu tempo tentando me proteger, enviando anjos, segurando cristais, uma infinidade de práticas e comandos mentais. A novela foi o ápice dessa paranoia. Eu vejo hoje esse medo no meu corpo quando me assisto nas cenas da novela“, contou.