Rowan Atkinson desabafa sobre Mr. Bean: “Estressante e exaustivo” (Foto: Reprodução/Instagram)

Rowan Atkinson, de 65 anos, famoso por interpretar o Mr. Bean, fez um desabafo em entrevista ao Radio Times sobre interpretar o personagem de sucesso.

+ De férias na Bahia Marília Mendonça exibe bronze e desabafa: “só quero voltar pra casa”
+ Tierry desabafa que já quer casar com Gabi Martins: “namorar é para os fracos”
+ Saulo Pôncio chora ao desabafar sobre crises e agradece família com Gabi Brandt: “melhor presente”

“O sucesso de Mr Bean nunca me surpreendeu. Assistir a um adulto se comportando de maneira infantil sem estar remotamente ciente de sua inadequação é inevitavelmente engraçado. O fato de a comédia ser visual em vez de verbal significa que ela também fez sucesso internacional”, contou ele.

No entanto, salientou as dificuldades sobre o papel, apesar do sucesso. “É muito agradável que as pessoas queiram se conectar com o Sr. Bean, mas não desejo ter nenhuma presença nas redes sociais. O que acontece é um espetáculo à parte no meu mundo. Na verdade, ele tem um número desproporcionalmente alto de seguidores em países muçulmanos e lugares com regimes criativos mais rígidos do que o nosso. Um gibi mais verbal teria dificuldade em evitar assuntos que ofendam os mais sensíveis. Mas não parece ser um problema para o Mr. Bean”, desabafou o ator.

Relacionados

Mas, os fãs não devem se preocupar, pois o Mr. Bean ainda terá conteúdo. “Estou fazendo uma série de animação para a TV e desenvolvendo um longa animado para Mr. Bean. É mais fácil para mim interpretar o personagem vocalmente do que visualmente”, entregou ele.

Porém, Atkinson pretende se aposentar em breve. “Não gosto muito de interpretá-lo. O peso da responsabilidade não é agradável. Acho isso estressante e exaustivo, e estou ansioso para o fim disso”, relatou ele.

“Na verdade, não gosto do processo, com a possível exceção de Blackadder, porque a responsabilidade de tornar aquela série engraçada estava em muitos ombros, não apenas nos meus. Blackadder representou a energia criativa que todos tínhamos nos anos 80”, finalizou.