Procura por “relacionamento sugar” na internet cresce mais de 80% em 2020. Foto: Divulgação

Mesmo sendo para muitos um tabu, o relacionamento sugar vem ganhando seu espaço na sociedade. Muito se deve a mídia e aos famosos que vêm comentando explicitamente sobre o tema e quebrando os estigmas gerados em seu entorno.

Segundo uma pesquisa feita pelo Universo Sugar com base nas informações do Google Trends, o início de 2020 começou com uma busca de aproximadamente 12,5 palavras, mas cresceu 87,5% batendo no final do ano o número máximo de buscas, que é 100.

Outro ponto analisado pelo site de relacionamento são os estados que estão entre os mais destacados pela procura sobre o assunto no Google. Em primeiro lugar fica Pernambuco, em segundo, o Pará, em seguida vem São Paulo, e a Bahia e o Espírito Santo, ficam respectivamente, em quarto e quinto no ranking.

Esses dados comprovam que os relacionamentos sugar estão se expandindo, saindo das capitais mais movimentadas, e indo para diversos estados brasileiros, mostrando todos os benefícios presentes nessa parceria.

Ainda de acordo com a pesquisa, foi possível perceber que a busca por “sugar daddy” bateu 75 buscas, enquanto por “sugar baby” chegou a 100, onde podemos concluir que cada vez mais as mulheres vem se interessando e pesquisando sobre esse tipo de investimento pessoal, que poderá trazer inúmeras vantagens.

Levando em consideração outra pesquisa, do Keyword Planner, uma ferramenta que analisa as pesquisas na rede, foi possível perceber que em dezembro de 2020 houve um crescimento de 37% na busca pela palavra-chave “relacionamento sugar”, tendo uma média mensal de 3,6 mil. Em relação ao termo “sugar baby” e “sugar daddy”, o aumento foi de 27% e 29%, respectivamente.

“No Universo Sugar esses dados foram bem refletidos já que batemos 2 milhões de usuários na plataforma, mesmo em meio a pandemia.

Acreditamos que inúmeros fatores contribuíram para esse crescimento, dentre eles a solidão imposta pelo isolamento social, uma forma de conhecer pessoas virtualmente sem contato físico, e o desemprego entre os jovens”, explica Fernando Gonçalves, fundador da plataforma.

Muitas dúvidas ainda são frequentes quando falamos desse tipo de relacionamento baseado em interesse mútuo, mas é possível perceber que os preconceitos estão ficando para trás, e que a tendência é que tal companheirismo, a cada dia, seja incluído na sociedade de forma assertiva.