Juliette canta no ‘Faustão’ e fala sobre trajetória no BBB: ‘só tentei ser boa’ (Foto: Reprodução/Globo)

Neste domingo a tarde (9), Juliette Freire, a campeã do Big Brother Brasil 21, participou do Domingão do Faustão para falar sobre a sua trajetória no programa. Durante o papo, a paraibana falou sobre os seus sentimentos, como tem sido a vida pós reality e chegou até a cantar.

+Lutador de Jiu Jitsu morre aos 30 anos de Covid poucos dias após perder o pai pela doença
+Juliette pergunta sobre fim do programa e Faustão responde: ‘Está acabando mesmo’
+Juliana Caetano causa na web com foto usando biquíni minúsculo e chupando pirulito

Sobre a fama após o BBB, Juliette desabafa: “eu estou assustada, mas ao mesmo tempo é um frio na barriga muito bom de saber que as pessoas estão acreditando em mim. Estão acreditando em coisas boas, me vendo como algo bom. Não quero perfeição. Eu não quero esse peso, por favor. Esse peso não é meu, essa carga não é minha. Eu só tentei ser boa. Eu não sou bondade. Eu só tento, tento enquanto eu puder“.

A maquiadora também revelou que seus amigos não a deixaram ver os comentários feitos contra ela no programa, e a aconselharam curtir as coisas boas, por enquanto. “Eles evitaram, falaram pouquíssimas coisas e falaram: ‘Curtam as coisas boas, depois que você relaxar a gente conversa. Eu sei algumas coisas, mas eu não quero julgar antes de entender porque falou. Se a pessoa conversar comigo, me explicar e eu olhar nos olhos dela e entender que: ‘Ok! Errou, tudo bem! Eu também erro’, eu não tenho problema nenhum em seguir“, garantiu a campeã.

Relacionados

Faustão então elogiou a postura madura e justa da sister, e ela agradeceu a mãe por ter puxado todas essas características. “Eu não sou metade, não sou 1% do que minha mãe é. A minha mãe conseguiu passar por tudo de mais difícil de uma mulher nordestina, analfabeta passou. Ela passava por tudo isso com o coração generoso e acreditando que ia dar certo, acreditando no melhor. Ela não tinha muita instrução para me ensinar, mas os valores e as coisas importantes ela conseguia passar“.

O apresentador também falou sobre a voz da advogada que impressionou o público e seus colegas de confinamento e Juliette explicou que a música a ajudou muito durante o programa. “Eu amo música, muito, muito, muito! Todas as vezes que eu ficava triste, feliz ou em dúvida, eu cantava alguma coisa que vinha na minha cabeça“.

Faustão então pediu para que a sister soltasse a voz no palco do Domingão. Ela escolheu duas músicas: “Deus me proteja”, do Chico César e “Triste, Louca e má”, que ficou famosa na voz de Maria Gadú.