• De funcionária no Sul da Bahia à autora de Best Seller nos Estados Unidos: a trajetória de Léia Eisenhower

    De funcionária no Sul da Bahia à autora de Best Seller nos Estados Unidos: a trajetória de Léia Eisenhower. Foto: Divulgação

    Natural de um povoado no município de Porto Seguro, do Sul da Bahia, a brasileira Léia Eisenhower imigrou para os Estados Unidos como uma forma de tentar ajudar sua família. Após receber sua documentação, Léia ingressou na aeronáutica em Nova Iorque, onde agora é capitã servindo ao Esquadrão de Busca e Resgate. Até esse momento, trabalhou como babá, zeladora na Igreja Católica em Hicksville New York e também trabalhou como auxiliar de pedreiro em construção civil. “Foram dias difíceis”, ela lembra. Léia, porém, não cruzou os braços: ingressou na Universidade e conseguiu conciliar agitada vida no trabalho com os estudos, concluindo assim, seu doutorado em Saúde Mental e sua especialização em Pastoral Counseling. A sua tese de doutorado transformou-se em livro, que hoje é um Best Seller com 2000 cópias já vendidas no Japão e com vendas esgotadas na Índia.

    Ao terminar seu Mestrado em Divindade, Léia decidiu apresentar-se ao comandante da Força Aérea Auxiliar dos Estados Unidos, em New York, para trabalhar voluntariamente como Oficial no treinamento de Cadetes do Ar. Após obter resultados positivos em todos os seus testes físicos, viajou até Springfield, município de Missouri, onde foi recebida como Capitã do Esquadrão da Ilha, e Capelã de missoes especiais de busca e resgate. Esse evento foi tão significante que os meios de comunicação mais importantes da ilha noticiaram o evento(https://www.longisland.com/news/08-31-16/ny-wing-9th-suffolk-cadet-squadron-chaplain-appointment.html).

    Desde Novembro de 2013, ela também presta serviços às Nações Unidas como “Online Specialist” e atua como Coordenadora Médica da Missão Raphá (O Deus que cura) – ONG que auxilia no tratamento de saúde dos menos favorecidos em Zâmbia. E, atualmente, também trabalha em uma clínica para crianças em estado delicado de saúde.

    Seus livros, originalmente, foram escritos em Inglês – idioma em que sente-se mais confortável para escrever. Léia se lembra dos tempos em que caminhava 45 minutos para chegar ao Colégio Estadual onde estudava em seu município de origem e diz “Eu não sei escrever o português corretamente, porém estou estudando e brevemente estarei desengavetando meu mais novo livro. Esperem, será surpreendente!”. O novo livro se intitula “Como Lidar com pessoas complicadas”.

    Léia já recebeu uma medalha de honra por estar entre as melhores estudantes de Nível Nacional, além de outras premiações, e neste mês de Setembro receberá o maior prêmio já entregue aos Brasileiros no exterior, o Portuguese Brazilian Awards. Este prêmio já foi entregue a vários artistas renomados, entre eles o Rei do Instagram Carlinhos Maia. O evento ocorrerá no Castelo de Caras no Central Park, em Manhattan. Porém, como medida de precaução devido ao Covid 19, para evitar aglomerações, a data da premiação não poderá ser divulgada. A capitã também receberá o troféu “Os Notáveis” pelo Jornal Brazilian Times.

    Durante essa pandemia, a capitã também vem trabalhando assiduamente na preparação e distribuição de cestas básicas, uma vez em que seu esquadrão foi ativado.

    A trajetória da carreira de Léia também pode ser acompanhada pelas redes sociais, através da página Léia Eisenhower, no Facebook, e no Instagram @capita_leia ; e através dos sites www.leiaeisenhower.com e www.capleia.com

    arrow